domingo, 17 de abril de 2016

Hashtag gratidão

Na era da superexposição é cada vez mais comum acompanhar as 24 horas do dia de uma pessoa - sejam nossos amigos, famosos ou sub celebridades-, no Youtube ou no Snapchat, um reality show comunitário e simultâneo. De acordo com nossa preferência pessoal tendemos a eleger nossos próprios ~digital influencers~, minha preferência pessoal me inclina a acompanhar booktubers, enquanto o nicho com, talvez, maior apelo seja o fitness-good-vibes, como eu própria decidi nomear. Essa definição porcamente construída abrangem perfis de alimentação saudável, exercícios ou apenas gente bonita e bronzeada que vive a beira da praia. Não sou do bonde good vibes, e por algum tempo eu os encarava com risinhos de desprezo. Como alguém pode ser tão positivo e feliz acordando cedo para praticar exercícios e bebendo suco verde? UGH, isso é TÃO errado, encerrava a Gabriela de alguns meses atrás. Preferia ser parte dos reclamações do twitter, sempre insatisfeitos e cansados. Não conseguia tolerar a positividade alheia e os RT em frases do Bob Marley, legendas com letras do Natiruts ou qualquer foto em na praia/cachoeira em posições de yoga. Minha impressão era de tudo isso não passava de uma farsa caça likes. Talvez fosse, não sei.

Quando comecei a enfrentar o peso das pressões diárias minha perspectiva mudou. Em meio ao caos rotineiro, aos prazos irreais, às expectativas sobre-humanas eu passei a desejar essa aura positiva na minha vida. Queria olhar pra natureza e conseguir apreciar, ou apenas me manter saudável e equilibrada no fim do dia, mas tudo o que eu capaz de fazer era reclamar no ouvido das minhas amigas, e chorar uns bons minutos antes de dormir. O desdém pela galera good vibes passou para inveja e depois admiração. Sério, gente, como é possível? Me passem a receita!!! Como levar um vida mais leve, mais satisfeita, mais livre e apaixonada? Como tirar um selfie que prestasse de maneira tão despretensiosa?. Eu não encontrei respostas, mas comecei a procurar por padrões de comportamento para, quem sabe, descobrir o segredo (me nego a ler O Segredo). Coisas como fazer alongamento ou parar de comer carne não funcionaria pra mim, meditar também não, apesar de considerar uma ótima ideia. Buscava por algo mais simples de ser alcançado, mas tão efetivo quanto uma corrida na orla.

Então uma palavra pulou e rodopiou ao meu redor: gratidão. Mas gente, que loucura! Eu ouço falar sobre gratidão o tempo todo graças a minha criação cristã-protestante. Gratidão é nosso bê-á-bá, como pude deixar isso passar? Era tão simples. Eis o mistério: eu queria me sentir grata, queria entrar nesse estado de contentamento e placidez, e impedir que todo sentimento negativo e opressor tomasse conta de mim. E quanto mais eu ansiava por essa gratidão brotando dentro de mim nada acontecia. E nem iria acontecer, porque, como descobri mais tarde gratidão não é um sentimento, é atitude.

É muito fácil pensar que gente como Gabriela Pugliese não tem problemas, contas a pagar, compromissos a cumprir. Quem escolhe viver uma vida positiva não decidi ignorar todos os problemas no mundo e viver única e exclusivamente numa bolha de irrealidade. Eles apenas decidem - consciente ou inconscientemente -, viver uma vida onde se aprecia o que é bom e aprender com o que é ruim não é tão bom assim. Minha vida não precisa ser um feed de instagram badalado, com mil jabás, viagens e aparições públicas em eventos (detesto), mesmo minha vidinha pode ser leve e colorida, às vezes confusa e mal administrada mas um prazer e não um castigo. Para todos os efeitos só temos essa vida, sem direito a reboot.

Depois de toda essa reflexão só agora chego ao objetivo desse post que é pontuar coisas que aconteceram essa semana pelas quais eu sou grata. É a primeira vez que faça registro disso, e foi totalmente inspirado e influenciado nesse post e em alguns tweets da Sofia Soter que pratica o ritual de gratidão:

• eu tive um dia para me dedicar só a faculdade
É ridículo dizer isso estando no 8° período, mas depois de ter o pior período de todos os tempos (alô 2015.2) eu decidi me recuperar. Continuo repetindo pra mesma que ainda dá tempo.

• comecei um laboratório que eu queria fazer há muito tempo
Se você também é da ECO vai saber do que eu estou falando, é o laboratório de Empreendedorismo digital AKA F5. Sempre quis fazer, mas sempre inventava desculpas. Agora é a hora.

• almocei com alguns amigos
Primeiro com a Rozen, minha parceirinha nas loucuras acadêmicas, e depois com a Ju, num almoço estendido onde falamos sobre términos, internet, leis sobre internet e youtubers. No fim da semana eu ia pro encontrinho das Minas da ECO (minha faculdade), mas acabou que não conseguir. Para compensar encontrei meu bff Thiago ♥.

• vou adotar um gatinho!!!!!
(=^・^=) YAAAS! Eu já queria muito adotar um gatinho, tive três até hoje e. depois de muitos insucessos, minha mãe negou a possibilidade de outro animal de estimação, mas cá estou eu desafiando todas as leis dessa família.

• eu escrevi um post!!!!
Sim, é isso aí. Cada post uma vitória. Segue o baile.


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Maquiagem minimalista

Rio de Janeiro, verão, 43°.

Não sei como está o clima no resto do país, mas no Rio está impraticável sair maquiada por conta desse calor desumano. Eu, que já era adepta de uma make mais suave, abri mão quase por completo da maquiagem, atualmente só uso o corretivo. Mas o que fazer em dias de festa? de ~socialzinha? 
Não gosto de usar sombra, acho que envelhece muito. Pele carregada também não é comigo, sobra o batonzão e muito rímel, mas se for sair para jantar o batom já era. Resta apenas o rímel que sozinho não faz muita diferença num look (a não ser que você esteja usando cílios postiços). Foi no meio desse meu dilema super fútil que encontrei opções usáveis, graças ao pinterest. Se você não usa pinterest, sinceramente eu não sei o que você está fazendo com a sua vida, é melhor repensa-la.

O pinterest é salvação dos meus dias de zero criatividade. Tenho uma festa pra ir? Corro pro pinterest. Tenho uma festa para organizar? Corre pro pinterest. Preciso dar uma recauchutada em algum móvel? Na certa, o pinterest me ajudará. Quero receitinhas práticas e deliciosas? Pinterest. Quero experimentar novas makes? Pois é, pinterest de novo.

Mas como este post é sobre maquiagem e não sobre o pinterest, vamos ao que interessa.

Minha primeira opção é SEMPRE recorrer ao batom vermelho. Só ele, e nada mais. Me dá a sensação de que eu já nasci assim, com esse boca maravilhosa que se destaca de todo mundo. Com um batom vermelho você não precisa nem de rímel. Se tiver nascido Alexa Chung então, Deus te abençoe. Vai e arrasa. Outra dica infalível é fazer aloka do rímel, sabe quando você passa camadas e mais camadas? É isso. E não esqueça dos cílios inferiores! Nos dias em que quero descansar o batom, invisto no protetor solar e muuuuito rímel. Mas para não ficar com os cílios grudentos é melhor usar uma escovinha/mini pente pra dar uma ~penteada antes, e curvex, por favor! O rímel precisa estar em dia também. Não se preocupe em borrar, é pra isso que inventaram o combo cotonete + demaquilante.

Outra coisa que eu AMO é maquiagem divertida. Não precisa fazer a Katy Perry e usar todas as cores do arco íris de uma vez só. Até porque estou falando de maquiagem do dia a dia, para trabalhar, sair com os amigos, encontrar o boy (que boy? fica a pergunta). Sabe o delineador gatinho? Muito difícil, né? Que tal investir em traço mais relaxado, com um lápis pra olho colorido? Eu tenho dois, um rosa metálico e um lilás, ambos ficavam no fundo da caixinha de maquiagem até que BOOM, porque não usa-los? Mistura-los? Inclusive essa primeira make, com delineador só na parte inferior já virou meu ~uniforme. Fácil, rápido e discreto. 

Por último e nunca menos importante: glitter. Gente, sério. Vamos aproveitar que já é socialmente aceitável usar glitter indiscriminadamente e soltar a franga de uma vez! Seja em delineado mais comportado ou jogando glitter em tudo. Para segurar o brilho todo é só você passar um primer incolor, ou gloss transparente voilà: brilha brilha estrelinha! A dica é usar pigmento ou glitter de poliéster. Nada roubar a cola com glitter do irmão caçula, plmdds.

Aproveitem que todas as dicas são fáceis e altamente utilizáveis! Lembrando sempre que tudo isso sem obrigação de estar montada nesse calor porque né, este post é e-xa-ta-men-te sobre não se preocupar com isso, mas se divertir com, esquece as regras. Quer usar, usa. Quer misturar, mistura. Quer sair de cara limpa, sai. Mas arrasa!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

10 coisas mais legais do meu mundo

Ah, como eu amo memes.

Um monte de gente legal já fez esse meme criado pela Karol Pinheiro, por que não eu?

Eu também, é claro.

1) Decoração


Três palavras e eu sou sua: livros, fotos, toy art.
Essas coisas compõe meu entendimento por decoração que recentemente foi ampliado graças ao pinterest. Tenho uma mini coleção de toy art com direito as dois Batmans, um Darth Vader, um Coringa, um Leprechaun, uma Marceline e um Charlie Brown. Eles ficam na cabeceira da minha cama, junto com um monte de outras coisas. Sendo bem sincera, eu não sou nada organizada. Junto tudo o que eu gosto e pronto, tá ótimo. Também tenho uma miniatura de Torre Eiffel comprada no camelô, algumas caixinhas e fotos espalhadas. E uma luminária para leituras à meia noite. Na parede da cama fica a prateleira com dvd e livros. Isso com os livros não ficam empilhados sobre a cama. Nada parecido com os quartos do pinterest que me deixam babando, mas para mim é suficiente. Decoração é para te fazer sentir em casa, e meu pequeno mundo é minha casa.


2) Livro

Como eu já falei aqui sobre o livro que mais me marcou, e eu não tenho um autor preferido, decidi falar do último que eu mais gostei Métrica. Eu li ano passado, e mesmo já tendo lidos alguns (poucos) livros depois esse continuam sendo o melhor da temporada 2015/16, por assim dizer. Métrica, da Colleen Hoover tem amor em suas várias formas, poesia e muita dor. O que, vamos combinar, são coisas que costumam andar juntas. Foi o livro do ano para mim. Doce, verdadeira e honesto. Fica a dica aí, galera! Vão ler Métrica e me agradeçam depois.

"I got schooled this year
by
a
Boy.
a boy that I'm seriously, deeply, madly, incredibly, and undeniably in love with.
And he taught me the most important thing of all...
To put the emphasis
On life."

 3) Viagem

É com muita tristeza que digo isso, mas a viagem dos meus sonhos eu ainda não fiz: Irlanda. Há algum tempo atrás eu estava procurando por possíveis destinos para intercambio e acabei encantada pela Irlanda: #1 lá não tem cobras (meu maior medo), #2 a cultura celta, #3 a vista. São motivos bem bestas? São. A verdade é que nunca vou saber quão genuíno é o meu interesse pela Irlanda até pôr meus pés lá.
Para saber sobre esse lugar mágico você pode acompanhar a Taís e a Lari, duas brasileiras vivendo na Irlanda, ♥.

Hook Head Lighthouse @ County Wexford // foto da Taís


4) Música

Eu desisto. Eu gostei da música nova do Zayn.

É preciso entender a situação, não tenho raiva do Zayn por ele ter saída da 1D, e sim pelo modo como ele tem agido desde então, é  tão decepcionante que dói. Fazer pouco caso da banda que permitiu que ele tivesse tudo o que tem hoje, alcançasse o sucesso fazendo o que gosta é cruzar um limite. Se hoje ele tem alguma visibilidade, de hoje existem pessoas que querem ouvir o que ele tem a dizer é tudo graças à One Direction, então, Zayn, seje menas.

Obviamente foi por isso que no primeiro momento eu achei essa música um LIXO. O clipe é tosco de um jeito ruim (sim tem jeito bom de ser tosco), sem contar que não aguento ele e a Gigi #fangirlissues. Mas deu uma chance e fui ouvir no Spotify. E gostei. Fiquei triste porque gostei, mas não consigo parar de ouvir. Tudo bem. Sua música é boa, Zayn, mas sua atitude é péssima.


Bônus: versão acústica sem Gigi Hadid.

5) Sapatos

Feios, de preferência! Hahaha
Birken, flatforms, rasteirinhas, tênis... qualquer coisa confortável que fuja do comum e não estoure meu cartão de crédito.


6) Maquiagem

Leve, mas marcante. Detesto aquelas maquiagens em que o rosto fica carregado pro camadas e mais camadas de produtos. O rosto pesa, fica fake e acaba com a pele. Costumo usar só BB Cream, corretivo, blush, muito rímel e batom. Às vezes um delineador gatinho quando estou com tempo. Mas no geral, só uso um batonzão tipo Lorde para mostrar que sim, estou usando maquiagem. Um vício recém adquirido é iluminador, dá leveza ao look, com um quê de ~elfa. No dia a dia tenho evitado usar maquiagem, ainda uso corretivo porque né, olheira crônica, mas fora isso só protetor solar.
Descobri que o segredo de uma pele bonita é tratar e não maquiar. Por isso tenha investido mais em produtinhos pro rosto do que maquiagem, minha acne agradece.

7) Ídolo

Acho ídolo uma palavra muito forte, mas se tem alguém que eu amo e admiro profundamente é meu brother Jesus.

8) Doce

Bolo de café ♥
9) Foto

Minha mãe guarda todos as fotos da minha infância, eu queria ter esse costume mas não tenho. Todas as minhas fotos são digitais, o que é péssimo. A memória física é muito mais reconfortante, e valiosa.
Em contraponto a isso eu comecei a colecionar fotos 3x4 há algum tempo, minha coleção é mediana, mas estou sempre incluindo novas fotos (não estrenhe se eu te pedir uma foto 3x4! hehe). Aqui está uma minha, não faço ideia de quantos anos eu tinha, mas a cara de bunda é a mesma.

Agora, das fotos que eu tirei é fácil escolher uma, já que me falta talento para a fotografia. Ela está sem foto no canto esquerdo por conta de um defeito na câmera do meu antigo celular. Mas continua sendo linda:
UFRJ @ Praia Vermelha

10) Blog

Os blogs que eu acompanho há mais tempo são, respectivamente: o Pudding, da Gabi, e o GWS da Nuta e Marie (sdds Carol).

Por fim, mas não menos importante, eu indico a Thami, do Lunettes para responder esse meme correndo o risco de ela já ter respondido, afinal, estou sempre atrasada. Hehehe.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Criando mundos: Garotos Corvos

DISCLAIMER: este é um loooongo post sobre The Raven Cycle com muitas imagens e muito fangirling. Deal with it.

A parte mais fantástica de ler, especialmente livros de fantasia, é imaginar. Construir na mente e no coração todos aqueles cenários fantásticos, montar peça por peça todos os personagens até conseguir enxergar aquele mundo. E, então, quando estiver completamente imersa nessa realidade se deixar levar pela história.
Algumas vezes esse trabalho é facilitado quando se tem algum filme ou seriado sobre o livro, principalmente se este veio antes ou se o livro é muito antigo e já foi adaptado para o cinema. Mas poucas coisas são tão gostosas como imaginar um mundo do nada, apenas se guiando pelas descrições do autora/autor. Confesso que muitas vezes eu ignoro descrições e crio personagens segundo minhas próprias impressão.
Mundos complexos como o de O Hobbit e Harry Potter exigem muito trabalho de imaginação, então os filmes acabam ajudando bastante, afinal, que mente dá conta de tantos nomes, cenários, detalhes e lugares? Eu que não.
Mas afinal, aonde eu pretendo chegar com todo esse blá blá blá? Bem, aqui. A última saga (?) viciante-apaixonante-eletrizante (risos) que me peguei lendo foi Garotos Corvos, da Maggie Stiefvater. Eu comentei aqui, durante o BEDA que tinha comprado o livro e estava louca esperando chegar. A situação em que me encontro agora é parecida: comprei o segundo livro e nada. A Saraiva ainda teve a coragi de dizer que está fora de estoque, mas no site informava que estava em estoque. Te odeio, Saraiva.
De qualquer forma este post não é sobre isso. Este post é sobre a maravilha que é o tumblr para qualquer fangirl (aproveita e me segue!). Foi passeando por lá que encontrei as maiores referências ao mundo de Garotos Corvos. Caso você não sabia, Garotos Corvos é uma série sobre magia e amizade. A história acontece na cidade de Henritetta, onde os personagens principais: Blue, Gansey, Adam, Ronan e Noah vivem e estudam. Dessa cidade nós somos conhecidos como o Nino's, onde a Blue trabalha; Anglioby, onde os meninos estudam; a Industria Monmouth, onde os garotos corvos moram, com exceção do Adam que mora em um trailer e a Blue, que não é um garoto e que mora na 300 Fox Way. Além disso ainda temos dois lugares mágicos: a igreja de St Agnes e Cabeswater. A Maggie capricha muito nas descrições, e em alguns momentos você consegue sentir a aura  dos lugares, por exemplo, quando eles encontram Cabeswater, nó, fiquei até arrepiada sentindo a magia fluir do livro (aquelas né) (porém, real).





PS: não tinha segundo andar? eu não lembro bem, mas jurava que tinha!

não é beeem Cabeswater, mas o caminho pra lá.

Além disso, é engraçado perceber como cada pessoa construiu sua ideia dos personagens, esse post é um exemplo disso: alguém falou sua impressões (comentários em preto) e outra alguém foi lá e comentou em cima, concordando ou discordando (comentários em verde e vermelho), e eu concordei muito mais com a primeira pessoa! Hahahaha. Por exemplo, existe um consenso quase que geral de que a Blue é oriental, o que eu não concordo. Admito que sim, é interessante imagina-la dessa maneira porque se encaixa perfeitamente com a personalidade dela, mas eu imaginei a Blue negra, menos frágil e mais badass.



Mas é claro que além da descrição da Maggie, pequena e de cabelo curto, o resto é passível de ser interpretado. Para mim, a Blue poderia muito bem ser interpretada pela Amadla Stenberg, a Rue de Jogos Vorazes, enquanto no tumblr quem reina é a modelo tailandesa Lydia Graham.

Blue AKA Jane

Outra coisa maravilhosa que encontrei no tumblr foi um ser iluminado que pensou no instagram de cada dos personagens. Para ficar explicadinho:

@thewalkingghost - Noah
@sonofadreamer - Ronan
@glendowering - Gansey
@sergeantblue - Blue
@imparrishable - Adam

 Apenas apreciem:

OMG, imaginaram essa fanfic? Eu imaginei.

#blansey

bruxaria das boas!

LÇSLKSNDSÇKSA fiz check-in no chão

Adam e Blue ♥

o beijo ~impossível~



musos
HAHAHAHA chorei
Não bastasse a genialidade dessa pessoa, alguém mais incrível ainda decidiu fazer booktrailers que me levam as lágrimas instantaneamente. Sério. SÉRIO. Deus abençõe essas almas. A própria Maggie fica encantava com o quão comprometidos os fãs são. Queria ter talentos artísticos para expressar meu amor por The Raven Cycle. Mas já que não tenho, basta admirar. Deixo com vocês o meu preferido:


Mas também tem esses outros que me deixam em posição fetal.

Por último, nunca menos importante: Cabeswater existe.
quer dizer...

Todo esse post longo saiu das profundezas do meu coração que não aguenta mais esperar pelo próximo livro, pela conclusão dessa história maravilhosa que consegue me deixar arrepiada. Que delícia que é curtir uma série de livros nova, aguardar ansiosamente pelo próximo lançamento, criar teorias loucas, virar aloka das fanfics. Ai, meus 15 anos! O mais legal que todo mundo que eu conheço que acompanha essa saga é da minha idade, a gente vai envelhecendo mas o espírito continua teen ♥.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Hábitos de leitura

Vários blogs que eu acompanho já responderam essa tag, decidi que era minha hora de responder também. Essa tag é legal porque permite que a gente conheça as manias e a rotina de leitura de cada pessoa.
Confesso que sou cheia de rituais, tenho o momento e lugar certo para ler e não gosto de interrupções. Não chega a ser toc, é uma questão de timing. Mas isso não me impede de ficar obcecada por um livro e ler em qualquer lugar, em qualquer hora. O episódio mais engraçado que já passei foi quando estava lendo Harry Potter e O Cálice de Fogo e minha mãe pediu pra que eu ficasse de olho na comida que estava no fogo. Eu sabia que não conseguiria prestar atenção em fogão, então coloquei uma cadeira ao lado do bendito e fiquei lá lendo, só desliguei a panela quando comecei a ouvir os estalos que significavam que o arroz estava quase queimando hahaha.

1. Quando você lê? (manhã, tarde, o dia inteiro ou quanto tem tempo?)

Depende. Quando estava de férias e desemprega eu lia o dia inteiro, mas só se a história me cativasse. Trabalhando e estudando eu leio sempre que aparece uma oportunidade: no intervalo das aulas, em filas, no trem. Raramente leio de madrugada porque prezo muito pelo meu sono.

2. Você lê apenas um livro de cada vez?

quem nunca?
Essa costumava ser a minha regra: apenas um livro por vez. Eu quebrei minha própria regra: meu estou lendo do skoob já chegou a ter seis (!) livros. Tento evitar ler mais de um livro mas às vezes me sinto obrigada a pausar uma leitura em favor de outra mais aguardada. Por exemplo, deixei Não sou uma dessas de lado para ler Convergente mas continuo lendo o da Lena. #prioridades

3. Qual o seu lugar favorito para ler?

Em uma cadeira com mesa, tipo de escola. É idiota mas não gosto de ler na cama/sofá porque fico com a postura péssima e logo me sinto cansada. Ler sentada é bom, mas se a distância entre o livro e o meu rosto for muito grande eu perco o foco e me distraio (?).

4. O que você faz primeiro: lê o livro ou assiste ao filme?

Livro primeiro, sempre. Às vezes nem lembro que tem filme vide Maze Runner! Ver o filme antes é agridoce: você consegue localizar menor os cenários, coisa que tenho dificuldade de fazer lendo, mas quando você vê o filme antes não sobre muito espaço para imaginação dos personagens.

5. Qual formato de livro você prefere?

Não leio em pdf por nada nesse mundo! Só fiz isso uma vez com As Relíquias da Morte e não rolou. Também não leio e-book porque não tenho kindle, nem kobo. De qualquer forma, gosto mais de livro físico mesmo.

6. Você tem algum hábito exclusivo ao ler?

Gosto de ler a última frase/parágrafo do livro antes de começar a leitura. Só por diversão. Hahahah
Não costumo marcar os livros, nem com lápis ou post-it e julgo que faz isso, prefiro copiar as partes interessantes em alguma agenda.

7. As capas das séries tem que combinar ou isso não importa?

Is this a question??? Mas é óbvio que sim! Que morte horrível capas descombinadas (e feias de uma forma geral). Basta ver que TERROR que são as capas dos livros da Stephanie Perkins em português. Não chega a ser uma série mas eles estão ligados, né.
Gosto mesmo é quando os livros são todos combinadinhos, no mesmo estilo, mesma cor de página, mesma fonte, mesmo estilo de capa.
perfeição